Ecologia integral e a ética do cuidado

Em sua primeira fase, a ética centrava-se no homem e sua formação, em busca da felicidade, da perfeição de vida, com atenção para o  aspecto físico e espiritual, além da sua atuação política na sociedade. A  busca da felicidade deveria ser a preocupação do homem. Desse período é a ética hedonista, o epicurismo e outras variações, sempre tendo o homem como centro. A obra mais famosa que marcou essa primeira fase é A ética de Nicômaco, de Aristóteles, até hoje consultada e aplicada.

O mundo cresceu, a sociedade dilatou-se, globalizou-se, e esse idílio inicial e individual da ética foi superado pela necessidade de romper com essa visão e contemplar o universo como nosso habitat  para o qual devemos dedicar nossa atenção, em defesa do chamado desenvolvimento sustentável.

Os movimentos ecológicos surgiram em todo o mundo,  preocupados com o meio ambiente e a conservação das espécies. Nessa luta, destaca-se a atuação do Greenpeace, uma ONG, com sede em Amsterdã, que tem desenvolvido um trabalho constante  em defesa das florestas, dos animais, do clima, dos oceanos e até mesmo da engenharia genética, com o objetivo de garantir melhor espaço de vida para todos, no presente e no futuro.

O ex-vice-presidente americano, Al Gore, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, em 2007, e que tem se destacado pelo seu ativismo ambiental, concluiu seu livro, O futuro, lançado recentemente, apontando para a escolha, pela civilização, entre dois caminhos: um que, dentre outras coisas, levará à destruição do equilíbrio climático e o esgotamento dos recursos de que necessitamos; e o outro, que levará para o futuro.

No Brasil, Leonardo Boff é um dos pensadores mais preocupados com uma nova ótica para a ética: global, planetária, ecocêntrica. O ethos como atitude de responsabilidade e de cuidado com a preservação do planeta Terra e com todos os seres que habitam nela. Com três livros voltados para esse tema (Saber cuidar; O ethos mundial; e Cuidado necessário) ele tem sido um apóstolo dessa nova postura ética, em benefício da humanidade.

Nesse horizonte, surge agora mais uma luz: a encíclica Laudato Si (Louvado  Sejas) do Papa Francisco, exortando todos para cuidar do nossa morada, possuídos de uma visão ecológica integral.  Convoca o Sumo Pontífice para que todos assumam a responsabilidade com o ambiente e o futuro do universo.

A expressão "casa comum" usada ao longo do texto da encíclica, remete para o sentido originário da palavra ethos, raiz da palavra ética (com ê fechado), a qual significava morada, casa humana. É justamente o cuidado com a Terra, nossa morada comum, a preocupação maior de Sua Santidade. É a ética do cuidado como apelo ecológico.

Até agora, a maioria dos esforços para preservação do nosso ecossistema tem evaporado nas fumaças da poluição. Façamos votos para que a força da encíclica Laudato Si provoque resultados efetivos em favor dessa grande causa da humanidade.

  • Compartilhar:


Lourival Serejo

O desembargador Lourival de Jesus Serejo Sousa nasceu na cidade de Viana, Maranhão. Filho de Nozor Lauro Lopes de Sousa e Isabel Serejo Sousa. Formou-se em Direito, em 1976, especializando-se em Direito Público, pela Faculdade de Direito do Ceará,
Saiba mais

Contatos

  • email
    contato@lourivalserejo.com.br

Endereço

Desembargador Lourival Serejo