Crônicas

A incrível face da lira cativa

A vantagem de falar-se de um acontecimento histórico, depois de 50 anos, é que a distância facilita uma análise mais isenta de emoções. Ainda estarrecido com as revelações ocorridas perante a Comissão da Verdade, atrevo-me a tecer...Saiba mais

  • Compartilhar:

Coelho Neto: sesquicentenário de nascimento

Inicio esta homenagem a Coelho Neto, apelando aos professores e diretores das nossas escolas para que lembrem aos alunos a importância de comemorar-se o sesquicentenário desse escritor maranhense, nascido em 21 de fevereiro de 1864, na cidade de Caxias, e que tão bem representou...Saiba mais

  • Compartilhar:

Fraternidade, o princípio esquecido

Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Mateus, 22, 39. A Revolução Francesa de 1789 desencadeou-se sob três divisas: liberté, egalité, fraternité (liberdade, igualdade, fraternidade). Dessas três, as duas primeiras afirmaram-se como as...Saiba mais

  • Compartilhar:

Os túneis da liberdade

A frequência com que se verificam, nos últimos anos, as fugas de presos da Penitenciária de Pedrinhas, por meio de túneis ali cavados, inspirou-me a divagar por estas linhas. De vez em quando, descobre-se um túnel, ou já utilizado para as fugas, ou prestes a...Saiba mais

  • Compartilhar:

De como queimar a língua duas vezes

Ceres Costa Fernandes Mestra em Literatura e membro da Academia Maranhense de Letras 25/08/2013 Esta é uma crônica envergonhada. Envergonhada da língua nem sempre moderada desta própria escrevinhadora. Dessa imoderação, sobreveio o incidente que...Saiba mais

  • Compartilhar:

Matou a família e foi à escola

Parece o nome de um filme, mas não é. Também não é ficção. A tragédia aconteceu em São Paulo e resultou na morte de cinco pessoas. Marcelo, um menor de treze anos de idade, matou os pais, a avó, a tia e, depois,...Saiba mais

  • Compartilhar:

Os ecos da ética

Desde que vi pela televisão os primeiros protestos pelas ruas de São Paulo, com uma multidão desenfreada querendo e querendo denunciar e reivindicar, uma série de reflexões e lembranças vieram-me à mente. Lembrei-me até de um livro...Saiba mais

  • Compartilhar:

Os ruídos vindos da Colômbia

  A literatura colombiana tornou-se mais conhecida e respeitada depois de Garcia Márquez, depois dos “Cem anos de solidão”, precisamente. Arrebatando o Prêmio Nobel de Literatura, em 1982, Garcia Márquez elevou a literatura latino-americana, a ponto de...Saiba mais

  • Compartilhar:

Os ruídos vindos da Colômbia

  A literatura colombiana tornou-se mais conhecida e respeitada depois de Garcia Márquez, depois dos “Cem anos de solidão”, precisamente. Arrebatando o Prêmio Nobel de Literatura, em 1982, Garcia Márquez elevou a literatura latino-americana, a ponto de...Saiba mais

  • Compartilhar:

Ter ou não ter filhos

A revista Veja, em edição recente, tratou, com chamada de capa, dessa matéria, exibindo uma executiva que renunciara a ter filhos em prol de sua carreira e suas ambições. O índice de casais sem filhos torna-se cada vez mais elevado, em todos os...Saiba mais

  • Compartilhar:

Ameaça à Constituição

Não fui surpreendido com a notícia porque já a havia lido, há meses, em algum jornal. Pela ousadia e absurdo, pensei que a ideia tivesse sido abandonada. De repente, vejo, pelo Jornal Nacional, a entrevista com um deputado federal do Piauí, integrante do Partido...Saiba mais

  • Compartilhar:

Os inimigos íntimos da democracia

Já conhecia o crítico literário búlgaro e hoje cidadão francês, Tzevetan Todorov, no campo da literatura, pelo estudo de suas obras Introdução à literatura fantástica (Perspectiva, 2010) e Poética da prosa (Martins...Saiba mais

  • Compartilhar:

Lourival Serejo

O desembargador Lourival de Jesus Serejo Sousa nasceu na cidade de Viana, Maranhão. Filho de Nozor Lauro Lopes de Sousa e Isabel Serejo Sousa. Formou-se em Direito, em 1976, especializando-se em Direito Público, pela Faculdade de Direito do Ceará,
Saiba mais

Contatos

  • email
    contato@lourivalserejo.com.br

Endereço

Desembargador Lourival Serejo